pensamentos

“É o ódio, estúpido”

Essa foi a grande sacada do PSL de Bolsonaro: O uso do rancor como projeto de poder.

Quando James Carville justificou o uso dos indicadores econômicos como o principal fio condutor de uma campanha nos EUA estava sentenciando o futuro de qualquer projeto político. Carville afirmava que o candidato que não levasse em consideração a área econômica fracassaria na busca pelo poder, pois essa seria a principal preocupação do eleitorado na hora de votar.

Aqui em Pindorama a candidatura vencedora teve como norte o uso da raiva dos eleitores em relação a “velha política”.

Ela era alimentada a cada violência sofrida, pelas notícias sobre a corrupção, falcatruas, descaso com a saúde, educação, moradia, etc, enfim por tudo aquilo que nos impedia de celebrar a vida.

Ao invés de reclamar e cobrar de nossos políticos, grande parte da população  se calava e dissipava essa energia  num ódio que crescia  silenciosamente até alguém um dia dizer as seguintes palavras magicas:

Vote em mim, eu sou contra tudo que está aí!

Essa foi a grande sacada do PSL de Bolsonaro: O uso do rancor como instrumento de poder.

O problema é que para se manter no poder, será necessário continuar a alimentá-lo!!!

Luciano Mannarino.

0 comentário em ““É o ódio, estúpido”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: