O último jogo…

A parte da rua onde as partidas eram realizadas com seus buracos no chão, calçadas irregulares, paralelepípedos, postes, pessoas e carros que passavam, etc, tornava o futebol um jogo peculiar – quem já esteve de cara para o gol e foi obrigado parar a bola para uma kombi passar sabe o que estou falando.

Foi nesse pequeno universo que sentimentos e aptidões eram desenvolvidos e exercitados. A rivalidade, a solidariedade, o oportunismo, a superação, o esforço, a vitória, a derrota, enfim turbilhões de emoções que cada jogo oferecia – É possível conhecer muito sobre nós mesmos e sobre as pessoas durante um simples jogo de futebol. 

Era uma escola, no entanto, teve um fim melancólico. É que no final da rua onde vivi começaram a construir um condomínio de seis prédios com dez andares cada um. Sabíamos que isso poderia afetar nossas partidas, porém continuávamos a jogar mesmo com passagem constante de caminhões.

Mas na semana seguinte, após a entrega das chaves dos apartamentos, tudo mudou. O quarto automóvel que passou, com alguns minutos de jogo, descortinou o obvio: Havíamos perdido nosso “campo” de futebol. Ficou inviável.

Olhamos uns para os outros e resignados, sem dizer uma palavra, cada um foi para sua casa e nunca mais voltamos a jogar na rua. Fiquei sozinho com a bola sobre meu pé refletindo sobre a perda do meu laboratório de sentimentos até que uma buzina interrompeu minha melancolia.

Sai da rua seu maluco!!!!

(memórias do lugar)

Professor Luciano Mannarino

Pensamentos

ezgif.com-video-to-gif (2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s